13
mar
11

A FM e o Jabá

Quem nunca se deparou com um rádio repleto de estações e nenhuma emissora tocando o som que você gostaria de ouvir? Ou ainda, duas emissoras tocando o mesmo som simultaneamente? O FM brasileiro sempre teve que conviver com o chamado Jabá.

Jabá
Termo criado pelo mercado midíaco que define o fato de pagar à rádio para tocar a música que lhe interessa financeiramente (i.e., você gravadora). Quando na verdade quem deveria pagar para tocar é a rádio, comprando direitos autorais. Imaginem o resultado deste imbróglio…

Katy Perry

Milhares de remixes sem sentido para adaptar o Jabá ao cenário da rádio e enganar ouvintes


Vamos a um caso interessante, Energia 97 (porém o mesmo se aplica a todo tipo de crap do rádio brasileiro). A dita rádio se diz “da balada”, e.g., deveria tocar somente som eletrônico! Mas não é o que ocorre em 90% de sua programação, o Jabá e interesses financeiros predominam em sua programação. Ontem, em meus aposentos, sintonizei uma rádio do ShoutCast para trance (por incrível que pareça tem coisa boa ainda do Trance) e outra para House, mais precisamente Eletro House, e meus jovens… QUE SOM. Porém, eles (pseudo 97FM, aquilo era rádio), insistem em formatos embarcados de músicas pop, com vocais modulados freneticamente onde não há condições de se entender o que dizem de tamanho o barulho e assim, ninguém reconhece o rádio pop gringo brasileiro. Em outra época, o que dominava era a cena Black, muito rap e hip-hop disconexos e muita pancada sem sentido, o rádio é cheio de modinhas e temos a Petropolitana, i.e., Metropolitana, encabeçando estes fenômenos porcos; porém com discípulos à altura: Mix e 89.

Em nenhuma dessas épocas houve um trabalho bem feito na execução de boa música, pois o Jabá não permite, considerem o seguinte: se querem tocar black, que toquem decentemente; se querem tocar pop, que toquem decentemente; mas se o mercado paga para tocar Katy Perry dez vezes por hora, o que as rádios vão fazer? Aceitar a grana gorda do capitalismo selvagem, ou chorar as migalhas dos anunciantes nacionais em sua programação normal e contar com a audiência reduzida dos nichos musicais existentes (vide Kiss FM, Alpha, Antena 1 e similares)? As gravadoras pagam para que seja tocado Kate Perry dez vezes ao dia e assim realizar uma lavagem do cerebelo forçada por osmose sonora e fazê-lo acreditar que aquilo é moda, e que é o que há no mercado.

Baseando-nos nisso, uma incoerência muito clara ocorreu no sucesso de Kid Kudi com Day and Night remixado por Crookers (fowdásticos). Nesta época, o sucesso foi tão nervoso que obviamente deveria-se trazer para nosso mercado outros remixes dos Crookers (alavancando a balada pop Spirit of London, porém este é outro caso sério de auto-jabá), mas isto não ocorreu. Paralelamente a isso, Crookers tem um remix para Wassup com Diplo Feat. Rye Rye (entre outros estuprantes), que destruíria todo o mercado baladeiro no Brazil.

O auto-jabá ocorre no maior evento popular de música eletrônica no Brazil, a Spirit of London. Neste mega-evento há uma promoção que perdura por vários meses antes, estudos levam a crer que a promoção é realizada por todo o ano, saturando o ouvido dos ouvintes remanescentes da rádio. Porém não é claro nem perceptível o auto-jabá realizado entre Spirits para que músicas passem a ser valorizadas (sem merecimento) e que os artistas associados venham ao mega-evento devido à vinculação de sua fama com o sucesso gerado por lavagem cerebral durante meses. Promover o que realmente há de bom não seria viável, pois não seria possível contratar o produtor ou DJ que seja para o mega-evento Spirit of London, já que são DJs caros. Afinal, por que não vimos Mastiksoul no Brazil? Esse sim tem som de alto nível.

Vale dizer que hoje só consigo ouvir no rádio brasileiro a BandNews FM, e quando preciso garimpar boa música para meus ouvintes, o trabalho deve ser minucioso e contar com viagens em outras regiões para conhecer as novidades.
Fiquem de olho no Jabá meu povo!

Anúncios

2 Responses to “A FM e o Jabá”


  1. 16 / mar / 2011 às 18:30

    É engraçado isso, talvez com a rádio digital chegando isso mude! Afinal serão possiveis varias programações na mesma sintonia, assim possibilitando uma programação movida por jabás e outra de somzera pura ! humm sera ?
    A Rádio que eu mais ouço é a 107.03Fm (Brasil2000) em São Paulo…
    Incrivelmente eu me surpreendo com a playlist dos caras, sexta a noite é a salvação da rádio brasileira…
    Mas eles vão fazer uma pareceria com a Eldorado Fm… e por mais q a Eldorado tenha uma boa progamação, temo que vá mudar o estilo de som !

    • 19 / mar / 2011 às 20:21

      Será que a rádio digital chega mesmo?
      No dia que chegar, com certeza vai dar pra fazer este tipo de coisa, imagine só… A principal com as atuais e os jabás, e o canal secundário tocando as velhinhas, ou top lists do passado, as possibilidades vão longe!
      Agora nunca ouvi a Brasil 2000, depois do seu comentário vou dar uma ouvida na rádio!!
      Vamos torcer pela salvação do rário!! =)


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: